O que é Teosofia?

Para saber o que é Teosofia foi utilizada a obra: “Compêndio de Teosofia”, de C. W. Leadbeater, um grande nome da Teosofia.

O que é teosofia


Etimologia

“O termo Theosophia deriva de duas palavras gregas: “Theos” que significa “deus”, e “Sophos” que significa sábio”, originando a expressão “sabedoria divina”.

Filosofia, religião e ciência

Segundo Leadbeater, a Teosofia é, ao mesmo tempo, “uma filosofia, uma religião e uma ciência”.

Leadbeater fala da “Teosofia como não sendo uma religião em si mesma, e sim, a verdade que serve de base igualmente a todas as grandes religiões”.

É filosofia ao explicar o plano de evolução das almas e dos corpos compreendidos em nosso sistema solar.

O autor acrescenta que, a exemplo da filosofia, busca o entendimento e o questionamento do que diz respeito ao homem, e há o amor à sabedoria.

Etimologicamente “Filosofia” pode ser entendida como “amor à sabedoria” (“philo” que deriva da palavra “phília” que significa “amizade ou amor fraterno” e “sophia” que quer dizer “sabedoria”).

É religião porque ao demonstrar a marcha da evolução também oferece um método para, por esforço consciente, acelerar a evolução.

Diz que se trata de religião por atender à essência da palavra religião originada da palavra latina “religio” e, possivelmente, de “religare”, com o significado de “religar”.

É ciência por tratar todos as suas questões não como crenças teológicas, mas de conhecimentos diretos adquiridos pelo estudo e investigação pessoal.

Leadbeater: “[…] afirma que o homem nenhuma necessidade tem de se confiar cegamente à fé, porque possui em si mesmo poderes latentes que lhe permitem, quando despertos, ver e examinar por si próprio”.

E a Teosofia mostra como se dá o desenvolvimento desses poderes latentes no homem.

Algumas diretrizes da Teosofia

A Teosofia ensina que o nosso sistema solar é um mecanismo minuciosamente regulado e que o homem é parte disso tudo.

Ensina que o correto não é conceber que o homem possui uma alma, e sim que o homem “é” uma alma e que possui um corpo ou, em verdade, vários corpos que são veículos em vários mundos e que o homem vive nestes vários mundos, porém, normalmente é consciente apenas no mais inferior.

Ensina que a morte é apenas o abandono do veículo pertencente ao mundo inferior e que a alma ou o homem real não é afetado nem modificado por este novo estado.

A Teosofia, apesar de seu aspecto também religioso, tem como premissa nunca procurar converter alguém seja quais forem as suas crenças. Ao contrário, procura explicar o sentido mais real e profundo das religiões.

A Teosofia por seu aspecto científico é, na verdade, uma ciência da alma, ensina que o estudante da ciência oculta ou sabe uma coisa ou suspende a respeito o seu julgamento e seu modo de ver não comporta nem admite a fé cega.

A Teosofia oferece preceitos fundados no bom senso e nos fatos observados e que embora alguns ensinamentos teosóficos estejam ainda fora do alcance do homem comum, cabe a este aceitá-los como “hipóteses” a serem comprovadas por ele mesmo e antes disso que tudo seja assinalado pelo uso do bom senso.

A Teosofia busca trazer luz e também solução para um grande número de nossos problemas ao explicar a razão das aparentes injustiças da vida e colocando ordem ao que muitas vezes parece um caos.

As três verdades essenciais

Leadbeater diz que “há três verdades essenciais que jamais se perdem, mas podem ficar esquecidas por falta de quem as proclame”, que são:

  • 1) “A alma do homem é imortal, e o seu futuro é o de uma coisa cujo desenvolvimento e esplendor não tem limites”;
  • 2) “O princípio, que dá a vida, habita em nós e fora de nós; é eterno, e eternamente benfazejo; não pode ser visto, nem ouvido, nem sentido, mas é percebido pelo homem que deseja percebê-lo”; e
  • 3) “Cada homem é o seu próprio legislador, o dispensador de sua glória e de sua obscuridade, o árbitro de sua vida, de sua recompensa e de seu castigo”.

 

Enfim…

A Teosofia diz que “o homem é imortal, que Deus é bom e que nós recolheremos o que semearmos”.

Assim a Teosofia ensina que tudo é regido por um conjunto definido de leis inteligentemente dirigidas e imutáveis e que o homem ocupa um lugar no sistema e vive sob essas leis e ao compreender e cooperar com elas poderá progredir mais rapidamente.

Paulo Rogério da Motta